sexta-feira, 22 de julho de 2016

A LEI ? ORA, A LEI ! ! !

A prefeitura de Jundiaí publicou nesta semana na Imprensa Oficial do Município um edital de licitação relativo à construção do BRT que dizia respeito à contratação dos projetos para a obra.

Ora, acontece que o 9° Promotor de Justiça de Jundiaí, Dr. Claudemir Battalini, havia recomendado que não fosse iniciada ou se interrompa a licitação, caso iniciada, do BRT até a definição e solução de todos os problemas abordados no Inquérito Civil em andamento.

Mesmo assim o executivo municipal publicou o edital de concorrência em uma arrogante, intolerável e prepotente afronta às recomendações da Promotoria de Justiça de Jundiaí.

Diante do fato, protocolamos um adendo ao Inquérito Civil sobre esse assunto informando ao MP o descaso da prefeitura para com todas as suas recomendações legais e solicitando providências sobre a questão.

Ninguém está acima da lei. Nem o prefeito e nem os secretários.

quinta-feira, 21 de julho de 2016

FALÊNCIA PÚBLICA ! ! !

Hoje é dia de festa olímpica na cidade. O prefeito Pedro Bigardi vai segurar a tocha. Eiiiiitttttaaaaaaaaa Jundiaí, hein ?

Enquanto o alcaide coloca a mão na tocha o caos toma conta de nosso combalido, massacrado, vilipendiado, esbulhado e pisado município.

A situação é a seguinte: O Hospital São Vicente está falido.

Enquanto essa farra do boi vai de vento em popa, os prefeitos que se sucederam na cidade nos últimos 30 anos quebraram o hospital.

Eles precisam ser responsabilizados judicialmente por isso.

Se o próximo prefeito de Jundiaí tiver um mínimo de dignidade ele vai fazer uma auditoria profunda no hospital para levantar as causas da falência e os seus responsáveis, levando-os todos às barras da justiça.

Mais do que as palavras, os números falam mais alto. Vamos lá:

Dívidas do Hospital de Caridade São Vicente de Paulo

TRIBUTÁRIAS: R$ 130.570.096,00

EMPRÉSTIMOS BANCÁRIOS: R$ 54.502.558,94

FORNECEDORES: R$ 8.234.000,00

CONTINGÊNCIAS TRABALHISTAS: R$ 40.118.511,98

CONTINGÊNCIAS CÍVEIS: R$ 4.936.454,40

TOTAL DA DÍVIDA: R$ 238.361.621,32

segunda-feira, 18 de julho de 2016

OUTRA DO DEPUTADO ! ! !

O deputado estadual Luiz Fernando Machado é o autor do Projeto de Lei n° 1301/2015, que dispõe sobre a criação no sistema estadual de ensino do programa Escola Sem Partido.

Ao lermos o teor do projeto e sua justificativa constatamos claramente o seu conteúdo reacionário e fascista, querendo colocar uma mordaça nos professores e um antolho nos alunos, impedindo-os de estudar e debater sobre todas as vertentes políticas e filosóficas para posterior conscientização pessoal.

Um projeto destes só pode partir de um parlamentar com mentalidade tacanha, um verdadeiro ranço da ditadura militar.

Aliás, o tucano em questão recebeu no lançamento de sua candidatura a fina flor do fascismo de São Paulo, seres desprezíveis pertencentes ao MBL - Movimento Brasil Livre que recebe financiamento de espúrias petroleiras norte-americanas.

Não bastasse este estrondoso tapa na cara do povo de Jundiaí, agora o parlamentar do PSDB quer, de maneira truculenta, amordaçar o ensino público no Estado de São Paulo. Uma barbaridade.

Para conferirem os detalhes do projeto cliquem aqui.

sexta-feira, 15 de julho de 2016

PÉSSIMAS COMPANHIAS ! ! !

FOTO: No lançamento da candidatura do Dep. Luiz Fernando Machado esteve presente, dando o seu total apoio, o vil fascista Kim Kataguiri (japonês à esquerda), membro do MBL - Movimento Brasil Livre, de extrema direita, que é financiado pelas petrolíferas norte-americanas dos irmãos Koch, que tem como objetivo a privatização da Petrobrás a preço de banana para tomarem de assalto o petróleo brasileiro.

Que vergonha, hein deputado ? Que tapa na cara de Jundiaí, hein ?

Já não bastasse o deputado Luiz Fernando Machado ser forasteiro de Minas Gerais e da Bahia, agora ele trás para a sua campanha aqui em Jundiaí esse monte de lixo reacionário, legítimos representantes de uma ultrapassada elite racista, discriminatória e escravagista que tem dominado este país há 500 anos.

Já não bastasse o seu carreirismo político sem nenhum compromisso com a cidade, o deputado em questão se junta aos vermes deste país que andam abraçados com os Bolsonaros e os Felicianos da vida.

Uma coisa fica bem clara: O deputado estadual Luiz Fernando Machado envergonha a nossa cidade. Diante disso, ele já deveria ter ido embora de volta para a Bahia levando junto todas estas suas más companhias, indesejáveis para o futuro da cidade de Jundiaí.

Nesta foto abaixo, Kim Kataguiri, apoiador de Luiz Fernando Machado, está abraçado com os deputados Eduardo Bolsonaro e Marco Feliciano.

São estas as novas lideranças que o PSDB está trazendo para Jundiaí. Profundamente lamentável. Uma lástima. Uma vergonha.

quarta-feira, 13 de julho de 2016

O BRT EMPACADO ! ! !

Há algum tempo protocolamos, em nome do PCB, uma representação junto ao Ministério Público pedindo a suspensão do projeto do BRT por irregularidades que o envolviam, dentre elas a ausência de EIV/RIV.

Diante de nossas argumentações foi instaurado um Inquérito Civil para as devidas apurações que resultaram na suspensão do projeto para as correções de suas irregularidades por parte do executivo municipal.

Dias atrás comparecemos à Promotoria de Justiça de Jundiaí para tomarmos conhecimento da situação de momento deste Inquérito Civil.

Entendíamos que, após todos estes meses de trâmite, os problemas já estariam resolvidos. Ledo engano. Nada foi resolvido pelas autoridades envolvidas no projeto.

O MP apontou ainda os seguintes problemas:

Ausência da manifestação do COMDEMA; ausência da manifestação do Conselho do Plano Diretor; o devido licenciamento ambiental ainda em andamento; ausência do Plano de Mobilidade Urbana; ausência de estudos, aprovações e verbas disponíveis para a continuidade do BRT para outras regiões do município, já que não recomenda a obra sem uma definição para o município como um todo.

Diante dessa situação, o combativo 9° Promotor de Justiça de Jundiaí, Dr. Claudemir Battalini, decidiu de imediato que não seja iniciada ou se interrompa a licitação, caso iniciada, do BRT até a definição e solução de todos os problemas abordados no IC, sob pena de, havendo prejuízo ao erário, haver responsabilidade por crime de improbidade administrativa, sem prejuízo de outras sanções legais cabíveis.

Além disso, o Ministério Público oficiou ao Ministro das Cidades, Bruno Araújo, indagando como o Município de Jundiaí obteve esses recursos federais para as obras do BRT em desacordo com o disposto no artigo 24, § 4°, da Lei 12.587/12, pois ainda não teria concluído o Plano de Mobilidade Urbana, bem como eventuais providências para a devida e necessária regularização ou suspensão da utilização das verbas.

Pelo exposto, a situação deste tresloucado projeto do BRT já está em papos de aranha, inclusive alvo de possíveis ações judiciais por parte do Ministério Público. Estamos de olho !!!