segunda-feira, 29 de setembro de 2014

NA RETA FINAL ! ! !

Caros amigos. Esta é a última semana de campanha antes da votação do dia 5 de outubro. Durante vários meses estivemos pelas ruas da cidade e da região divulgando a nossa mensagem sobre a lamentável realidade política em que vivemos. Não é necessário retratarmos novamente aqui o caos moral que tomou de assalto a nossa política nos últimos 22 anos. Neste processo eleitoral, além das dificuldades de estrutura, tivemos de enfrentar as campanhas milionárias onde determinados candidatos gastaram quantias absurdas cuja origem jamais poderão explicar. Além disso, tivemos de encarar também um boicote inaceitável de alguns setores de nossa imprensa local que só ofereceu espaço para os candidatos que pagaram, chegando ao ponto extremo de repórteres, de um lamentável jornal, acompanharem determinados candidatos em suas campanhas. Situação triste que somente ocorre porque estes veículos já se venderam há muito tempo às verbas de publicidade, sejam elas públicas ou privadas. Diante deste quadro gostaríamos de pedir aos amigos deste blog um último esforço para nos ajudarem nesta última semana indicando a nossa candidatura e o nosso número aos seus parentes, amigos, vizinhos, enfim, a todos aqueles de contato diário. Por toda essa colaboração que os amigos irão oferecer, fica registrado o nosso agradecimento.

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

HOMENAGEM AO DIA DO RÁDIO ! ! !

O Blog do Beduíno presta hoje a sua homenagem aos pioneiros do rádio em Jundiaí. O Circulo Operário Jundiaiense, através dos Srs. Francisco Pessolano, padre Octávio de Sá Gurgel, padre Adalberto de Paula Nunes, padre Antonio Maria Toloi Stafuzza, padre Thomaz Moliani, José Seckler Machado, José Maria do Monte Carmelo, Mario Piola e José Alves de Oliveira, implantaram em nossa cidade a Rádio Difusora Jundiaiense, emissora que, na época, tinha compromissos reais com a informação graças à seriedade dos membros do COJ. Depois que aquela rádio mudou de dono tudo passou a ser diferente, infelizmente. Mesmo assim, dedicamos este post a todos aqueles que tiveram compromissos reais com a informação na cidade. Ao nosso saudoso padre Adalberto de Paula Nunes o nosso tributo de saudade. Ao saudosíssimo Padre Antonio Maria Toloi Stafuzza a nossa gratidão pelo seu empreendedorismo e pela sua luta a favor de nossa Jundiaí.

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

CADÊ O DINHEIRO DO SERVIDOR PÚBLICO ?

Após meses de indefinição sobre a compra do Banco BVA por um de seus credores, o Banco Central decidiu fechar a instituição financeira carioca. Ela estava sob intervenção desde outubro de 2012. O BC disse que o BVA cometeu "grave violação" das normas do sistema financeiro. E disse também que vai tomar as medidas cabíveis para a punição pela fraude contábil. Os bens dos controladores e de todos os administradores continuam indisponíveis. Quando o BC interveio no BVA, o rombo do banco era estimado em R$ 550 milhões. Mas o grupo Caoa, principal credor, dizia que ele poderia chegar a R$ 3 bilhões.

Em julho de 2012, às vésperas da intervenção, o ex-presidente do IPREJUN na gestão Miguel Haddad, José Aparecido Marcussi, aplicou no BVA o valor de R$ 7 milhões a título de investimento. Três meses depois, com a intervenção, o Banco Central congelou todo o dinheiro do banco tornando-o indisponível. Já era de se estranhar toda esta aplicação de dinheiro público feita em uma instituição quase falida. Porém outro erro grave foi cometido. Quando o prefeito Pedro Bigardi assumiu o seu mandato e nomeou como presidente do IPREJUN a Sra. Carolina Pedrassoli, havia tempo hábil para corrigir o erro e resgatar a aplicação, o que não foi feito. Deixaram o barco correr. O resultado disso é que o BC fechou o BVA e os R$ 7 milhões oriundos do erário jundiaiense foram para o espaço. Agora, na tarde desta quinta-feira, dia 11/09/14, o banco BVA entrou com pedido de auto-falência no Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo. Porém, cabe ao eminente juiz da 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais de São Paulo, Daniel Carnio Costa, aceitar ou negar o pedido.

Meu caro servidor público municipal de Jundiaí, eis aí a maneira com que os governos do PSDB e do PCdoB/PT tem brincado com o seu rico dinheiro. Todo este patrimônio financeiro inestimável construído com muito sacrifício pelo servidor foi tratado de maneira irresponsável pelos pífios gestores públicos de Jundiaí nestes últimos 22 anos.

***** Eleições 2014 - TAYAR - Deputado Federal - N° 2121 *****

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

JUNDIAÍ: A TERRA DOS MORUBIXABAS ! ! !

O Cacique, também chamado Morubixaba, era o Principal, isto é, o Chefe Guerreiro de cada Aldeia ou do conjunto de Aldeias que se constituía a Nação Indígena. A palavra Morubixaba é a composição dos termos: Mó (Faz) YBY (da Terra) e Eçaba (olhar, o vigiar). Morubixaba era portanto o Chefe da Tribo. A cidade de Jundiaí, nos últimos 22 anos, mais pareceu ser governada pelos chefes guerreiros Caciques Morubixabas do que por prefeitos. O resultado deste atraso político é o batalhão de moradores de rua que se espalham por toda a cidade. Pessoas infelizes que tiveram problemas com álcool, com drogas ou com suas famílias, o que significou a sua exclusão social. Há uma enorme polêmica na cidade sobre a atuação das entidades que atendem a esta população abandonada nas ruas. Uns dizem que o SOS tem de sair do Anhangabaú, outros, que a Casa Santa Marta tem de fechar. É preciso ficar claro que seja o que for que aconteça com estas entidades, a obrigação de cuidar dos moradores de rua é da prefeitura. Nos últimos 22 anos a administração municipal virou as costas para este problema lavando as mãos, igual a Pôncio Pilatos, como se não tivesse nada a ver com isso. Incompetência e falta de vontade política do executivo. Esta é a definição clara sobre o problema já que o poder público nestas últimas décadas não teve política pública nenhuma para o morador de rua. Agora ficam neste jogo de empurra lamentável. Enquanto a situação é de caos social, sua excelência e preclaro secretário da casa civil, o grande filósofo contemporâneo Zeca Pires, desfilou no dia 7 de setembro montado em seu cavalo alazão, altivo e imponente, como se fosse um nobre e chefe guerreiro Cacique Morubixaba. Durmam com um barulho desse.

***** Eleições 2014 - TAYAR - Deputado Federal - N° 2121 *****