sexta-feira, 24 de março de 2017

O INIMIGO DO POVO ! ! !

A definição científica diz que a política é a ciência do bem comum; que a política é um instrumento de transformação social. Que bom se isso fosse verdade. Hoje em dia no Brasil e em nossa judiada, esfolada e vilipendiada cidade de Jundiaí, é uma doce ilusão.

Os políticos no exercício de seu vil mandato, em sua maioria, querem mais é que o povo se dane. A única coisa que eles pensam é em manter os seus privilégios, adotando para isso atitudes deploráveis que fazem até um cabrito vomitar.

Foi isso que aconteceu nesta semana quando a Câmara dos Deputados aprovou a terceirização das relações de trabalho liquidando com todos os direitos trabalhistas do povo brasileiro.

No meio destes inimigos do Brasil, estava o funesto deputado federal Miguel Haddad, que também votou a favor deste escárnio político.

Este parlamentar abaixo da crítica que se diz jundiaiense, além dele pertencer ao baixíssimo clero, é um pífio serviçal deste reles governo golpista que está enterrando de vez o pouco da soberania nacional que ainda nos resta através de medidas profundamente lamentáveis.

Este parlamentar sempre esteve de mãos dadas com as velhas e podres oligarquias de Jundiaí e, agora, do Brasil. Uma lástima que envergonha a nossa cidade, a nossa história e a nossa população.

No ano que vem teremos eleições gerais no país e aqueles jundiaienses que tiverem um mínimo de brio e honradez jamais votarão em sujeitos 5ª coluna como este, que novamente apunhalou pelas costas o sofrido, massacrado e escarrado povo brasileiro.

Confiram como votou o medíocre deputado federal Miguel Haddad:

***** CLIQUE SOBRE AS IMAGENS PARA AUMENTAR DE TAMANHO *****

segunda-feira, 20 de março de 2017

CULTURA DA MENTIRA ! ! !

A Prefeitura de Jundiaí anunciou o cancelamento da Virada Cultural e Virada Cultural Paulista na cidade. O argumento do alcaide é o mesmo de sempre: " Não temos dinheiro ".

Segundo nota, a Virada Cultural em Jundiaí custou aos cofres públicos no ano que passou R$ 703.438,90, enquanto a Virada Cultural Paulista teve um gasto de R$ 555.826,36.

Não vamos insistir aqui no descaramento dos mais de 300 novos cargos de confiança nomeados na semana passada e que vão custar aos cofres municipais a bagatela de R$ 50 milhões ao ano.

Nem vamos citar aqui também a total ausência de uma política pública na área da cultura há décadas e nem contarmos as inúmeras e sórdidas irregularidades da pasta nos últimos 30 anos.

A principal questão que temos de debater neste momento é a seguinte: A Fundação Casa da Cultura.

A Fundação Casa da Cultura de Jundiaí foi criada pela administração municipal por meio da Lei nº 3060, de 25 de maio de 1987.

O processo de criação estendeu-se por dois anos e o principal motivo para o surgimento da Fundação, como pessoa jurídica, foi a enorme necessidade de obtenção de fundos para execução do urgente projeto de restauração do Teatro Polytheama.

Além disso, as instituições privadas que investissem os seus recursos nos projetos culturais e sociais da Fundação teriam uma considerável isenção de seus impostos. Também existia a possibilidade dos projetos serem apoiados pela Lei Rouanet e pelo Ministério de Cultura.

Caros amigos, esta Fundação é uma grande interrogação já que ela foi criada para viabilizar fundos para a reforma do Teatro Polytheama e hoje expandiu as suas atividades sem as devidas explicações ao povo de Jundiaí sobre todo esse movimento financeiro.

E não venham com aquela balela de que tudo é publicado na Imprensa Oficial do Município. O papel aceita qualquer coisa. É preciso que as autoridades municipais prestem contas ao povo sobre suas atividades.

É muito simplista e inaceitável esta posição do prefeito em dizer que não tem dinheiro para a Virada Cultural. A população já está cansada de ser enganada por essa gente. Dizer a verdade é preciso.

sexta-feira, 17 de março de 2017

AMIGOS PARA SEMPRE ! ! !


Uma das coisas mais importantes que deixamos quando partimos deste mundo são as amizades. Isso é fato.

Neste quesito, o atual prefeito Luiz Fernando Machado tem do que se orgulhar. Afinal de contas não é qualquer um que desfruta de inúmeras amizades importantes como o nosso alcaide.

Na foto notamos a presença, junto do atual prefeito, dos meritíssimos e diletos desembargadores Dr. Márcio Franklin Nogueira (terno preto) e Dr. Cláudio Antônio Soares Levada (camiseta branca).

Esta foto foi tirada nas eleições de 2008 em uma reunião no delicioso restaurante do supermercado BOA, na Vila Hortolândia, onde o apoio dos magistrados seria para as candidaturas tucanas de Miguel Haddad e Luiz Fernando Machado para prefeito e vice-prefeito respectivamente.

Como todos sabemos as amizades rendem frutos. Inclusive existe este ditado antigo dizendo: " Aos amigos, tudo; aos inimigos, os rigores da lei ". Um ditado bastante sugestivo.

E esta amizade bem antiga entre o alcaide e os referidos magistrados rendeu frutos novamente neste novo governo do PSDB.

Entre os 260 felizardos comissionados de 4ª feira estão a Dra. Patricia Helena Nogueira, filha do nobre desembargador aposentado Dr. Márcio Franklin Nogueira, e Dra. Lenice Maria Levada, irmã deste meritíssimo desembargador Dr. Cláudio Antônio Soares Levada, nomeadas para os quadros de confiança na prefeitura de Jundiaí.

Parabéns aos eternos amigos em questão e que mostram um extremo e inenarrável grau de fraternidade entre si.

Confiram abaixo as portarias das nomeações:

quinta-feira, 16 de março de 2017

A TRISTE MATEMÁTICA ! ! !

Como já faz muito tempo que deixamos os bancos escolares, é sempre bom continuarmos fazendo contas para não esquecermos a taboada.

Então vamos aos exercícios de hoje.

Na Imprensa Oficial do Município desta quarta-feira, dia 15/03/2017, foram publicadas as portarias nomeando 260 novos cargos de confiança por parte do prefeito Luiz Fernando Machado.

Levando-se em conta uma média salarial dos nomeados neste governo do PSDB em torno de R$ 7 mil, chegaremos aos seguintes números:

- 260 (cargos) x R$ 7 mil = R$ 1.820.000,00 por mês

- R$ 1.820.000,00 + encargos trabalhistas = R$ 3.640.000,00 por mês

- R$ 3.640.000,00 x 12 meses = R$ 43.680.000,00 por ano

- R$ 43.680.000,00 + 13° e encargos trabalhistas = R$ 47.320.000,00 por ano

- R$ 47.320.000,00 + salários e encargos dos CCs já nomeados = + ou - R$ 50.000.000,00 por ano

- R$ 50.000.000,00 x 4 anos = R$ 200.000.000,00

Agora é a vez do futuro. O "econômico" governo municipal do PSDB vai gastar R$ 50 milhões por ano só com os cargos de confiança.

Nos 4 anos de mandato serão gastos R$ 200 milhões.

Apenas relembrando que os funcionários do Hospital São Vicente ainda não receberam a outra metade do 13° salário a que tinham direito em dezembro de 2016. O prefeito alegou não ter dinheiro.

Penosamente vai uma sugestão ao alcaide Luiz Fernando Machado para a solução destes e de outros problemas: Prefeito, volte para a Bahia.

terça-feira, 14 de março de 2017

ATENTADO À HISTÓRIA ! ! !

FOTO: O eng. Francisco Paes Leme de Monlevade, fotografado junto a uma locomotiva elétrica fabricada em 1926. Percebe-se que ela havia recebido seu nome, uma justa homenagem ao engenheiro pioneiro que revolucionou a história ferroviária brasileira ao introduzir a inédita e avançada tração elétrica numa ferrovia de primeira linha.

Nos primórdios do século XX, o extraordinário engenheiro Monlevade elaborou um inédito projeto de previdência dos ferroviários para que eles tivessem um subsídio básico quando envelhecessem e não tivessem mais condições de trabalhar. Este foi o primeiro projeto que criava o sistema previdenciário no Brasil.

Algum tempo depois, o deputado federal por Jundiaí, Elói de Miranda Chaves, eleito pelo PRP - Partido Republicano Paulista, baseando-se nos documentos do engenheiro Monlevade, apresentou no Congresso Nacional a lei que instituía a Previdência Social no país.

Para o orgulho e gáudio do povo de Jundiaí, dois jundiaienses seriam os protagonistas da maior lei social implantada no Brasil até hoje.

Porém, caros amigos, os feitos destes dois homens espetaculares estão sendo apagados pela nossa podre e desprezível classe política.

A começar do atual governo federal liderado por um reles presidente golpista e corrupto, legítimo representante de uma cultura racista e escravagista que vem desde os tempos das capitanias hereditárias até os dias de hoje, onde os donatários destas capitanias acabaram sendo substituídos pelos malfadados coronéis da política atual seguidos pelos seus jagunços pagos a peso de ouro.

E é exatamente essa gente que está propondo uma ridícula reforma da Previdência Social que extinguirá, com o passar do tempo, os sonhos e metas do engenheiro Monlevade e do deputado Elói Chaves.

Para completar este espetáculo dantesco, o atual deputado federal eleito por Jundiaí, Miguel Haddad, é a favor desta escandalosa e pífia reforma e da extinção da previdência pública, o que favorecerá aos donos das empresas de previdência privada que são, nada mais e nada menos, que os banqueiros que ditam a política econômica do Brasil.

Assim sendo, aquilo que os brilhantes jundiaienses, engº Monlevade e Elói Chaves, criaram para beneficiar todo o povo brasileiro, está sendo dizimado com a colaboração do grotesco jundiaiense deputado federal Miguel Haddad, de nefasta memória para o nosso município.

Enfim, através destas atitudes execráveis do deputado Miguel Haddad é que nós podemos entender porque o Brasil não deu certo.