sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

HISTÓRIA COMPROVADA ! ! !

Segundo o Sindicato dos Jornalistas do Estado de São Paulo o Jornal de Jundiaí tem atrasado o pagamento dos seus bons trabalhadores. Oras bolas, onde está o dinheiro da prefeitura ?

Além dessas questões trabalhistas, o Jornal de Jundiaí continua o mesmo, ou seja, só publica notícias dos pré-candidatos a prefeito que pagam e são bastante simpáticos a este veículo. Que vergonha, hein ? Que veículo lastimável é esse !!!

Muitas pessoas mais jovens quando ouvem falar sobre a história do Círculo Operário Jundiaiense, do Jornal de Jundiaí e da Rádio Difusora ficam na dúvida se o que se fala sobre o assunto é verdade ou não.

Mas é claro que é tudo verdade. Porém alguns discípulos de São Tomé querem ver para crer. Então aqui está a prova concreta.

Estivemos andando por toda a cidade à procura de alguma prova que confirmasse concretamente o que temos contado neste blog.

E finalmente encontramos.

Na rua Brasil existe um logradouro público denominado Praça Padre Adalberto de Paula Nunes. Naquele local há um belo obelisco com uma placa dizendo o seguinte:

" Homenagem póstuma ao Reverendíssimo Padre Adalberto de Paula Nunes no Jubileu de Prata da Rádio Difusora Jundiaiense - Diretor Responsável de 1950 a 1961 - Jundiaí, 24-06-71 ".

Esta foi a homenagem prestada pelo povo de Jundiaí ao pároco e ao saudoso Círculo Operário Jundiaiense, proprietário original do Jornal de Jundiaí (antiga A FOLHA) e da Rádio Difusora Jundiaiense.

Naquela época estes veículos de comunicação eram comprometidos apenas com a informação, bem diferente dos dias de hoje onde o vil papel vem em primeiro lugar. Profundamente lamentável.

Confiram nas imagens abaixo as homenagens ao Padre Adalberto de Paula Nunes e, consequentemente, ao Círculo Operário Jundiaiense:

Praça Padre Adalberto de Paula Nunes, na rua Brasil, onde se vê o obelisco com a placa em homenagem ao querido pároco do Círculo Operário Jundiaiense, que prestou serviços inestimáveis à cidade.

Placa homenageando o Padre Adalberto de Paula Nunes, diretor da Rádio Difusora Jundiaiense, do jornal A FOLHA e membro do Círculo Operário Jundiaiense. É a verdade comprovada neste blog.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

TORRANDO DINHEIRO ! ! !

A Prefeitura Municipal de Jundiaí terceirizou toda a frota de veículos da Guarda Municipal. Um absurdo. Um desperdício sem limites.

O custo desta sandice será de R$ 3.138.359,52 ao ano.

Um detalhe muito interessante é que, com a frota própria, o gasto da prefeitura com a manutenção das viaturas fica em R$ 380 mil ao ano.

Ao final do contrato, além da corporação ficar sem viatura nenhuma, a prefeitura terá de desembolsar uma fortuna para a aquisição de uma nova frota para que a Guarda Municipal não pare de atuar.

A empresa contratada é a Luiz Viana Transportes Ltda., da cidade de Belo Horizonte, Minas Gerais.

A situação ficou grave. O trabalho de segurança pública realizado pela Guarda Municipal vai ficar nas mãos dessa empresa privada, ou seja, se esta empresa falir a Guarda Municipal vai se desintegrar pois não terá viaturas para o desempenho de suas funções.

Resumo da ópera: Entregaram a estrutura da Guarda Municipal a uma empresa privada e que só visa lucro. É uma desfaçatez sem limites.

Esta é a economia que o prefeito Pedro Bigardi e seu pífio secretário de administração, Denis Crupe, fizeram com o dinheiro público.

Enquanto isso, nos camarotes do carnaval a cerveja e os salgadinhos rolavam soltos onde o alcaide e os vereadores curtiam as delícias da saborosa política jundiaiense. Confiram nas fotos:

sábado, 6 de fevereiro de 2016

NINHO DE COBRAS ! ! !

O Ministério Público do Estado de São Paulo apresentou denúncia contra seis pessoas por envolvimento em fraudes na licitação para as obras de ampliação da Marginal Tietê, na capital paulista.

As obras foram realizadas entre 2009 e 2011 por meio de uma grande parceria entre o então prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (hoje ministro das Cidades e integrante do PSD), e o então governador e hoje senador José Serra (PSDB).

De acordo com as investigações do MP, a obra recebeu R$ 71 milhões de maneira indevida. Os promotores afirmam que um dos lotes do contrato previsto em R$ 289 milhões saiu por R$ 360 milhões.

E é extatamente no PSD, do Ministro Gilberto Kassab, amicíssimo de José Serra, que o prefeito Pedro Bigardi foi engatar a sua carroça.

O alcaide deixou o PT e o PCdoB, partidos de esquerda, para então juntar-se ao que existe de pior da direita brasileira. O pouco que restava de sua história política foi jogado pela janela. Uma lástima.

Aliás, o ex-governador Leonel Brizola ao ser indagado certa vez sobre o que representava o PSDB na política brasileira, foi curto e grosso em sua resposta: " O PSDB é o restolho da UDN ".

FOTO: O senador José Serra, do PSDB, e o Ministro das Cidades Gilberto Kassab, do PSD, denunciados pelo Ministério Público por fraudes em licitação em obras da Marginal do Tietê, em São Paulo.

FOTO: O prefeito Pedro Bigardi e o Ministro das Cidades Gilberto Kassab, novos companheiros no PSD. O Ministro foi denunciado pelo Ministério Público por fraudes em licitação em São Paulo e o prefeito foi denunciado pelo Ministério Público por improbidade administrativa em Jundiaí. E assim caminha a humanidade.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

NO BANCO DOS RÉUS ! ! !

Em representação protocolada há algum tempo pelos vereadores da época Marilena Perdiz Negro, Gerson Henrique Sartori e Carlos Alberto Kubitza, todos do PT, ao Tribunal de Contas do Estado de São Paulo foram alegadas pelos edis possíveis irregularidades nos cargos em comissão da Prefeitura Municipal de Jundiaí.

Diziam os nobres vereadores na época que estes cargos deveriam ser ocupados por servidores efetivos, por meio de concurso público.

O tempo passou. Estes vereadores, que outrora denunciaram o fato, agora são situação, ou seja, o mesmo erro cometido pelos prefeitos do PSDB não poderia ser repetido pelo atual alcaide.

Mas não foi isso o que aconteceu.

Assim sendo, o Egrégio Ministério Público do Estado de São Paulo entrou com uma ruidosa Ação de Responsabilidade Civil por ato de Improbidade Administrativa, de n° 1001381-16.2016.8.26.0309, na Justiça contra o executivo municipal e o prefeito Pedro Bigardi.

Diante dos fatos, o Ministério Público pede, entre outras coisas, o seguinte em sua petição de denúncia:

"...As declarações de nulidades das portarias de nomeações dos 306 ocupantes dos cargos em comissão: Assessor Municipal III (CC-07), Assessor Municipal IV (CC-06), Assessor Municipal V (CC-05) e Assessor Municipal VI (CC-04)..."

"...A condenação de Pedro Antônio Bigardi, nos termos do art. 10, caput e art. 11, caput, I, e V da Lei 8.429/1992, para ressarcir integralmente o dano (acaso ele não se desincumba do ônus probatório inerente a demonstração de que os Assessores Municipais III, IV, V e VI prestaram os serviços que lhe foram incumbidos), perda de função pública, suspensão dos direitos políticos, pagamento de multa civil..."

Pois é, caros amigos. A casa do prefeito Pedro Bigardi está caindo.

Resta saber se é a casa do Vianelo ou a casa da Malota.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

ERÁRIO CARNAVALESCO ! ! !

Nessa época o prefeito Pedro Bigardi fica a todo o vapor. É carnaval. Eiiiiitttaaaaa folia da gota, sô !!!

Se o Hospital São Vicente está abandonado; se o transporte coletivo é o mais caro do país; se a Serra do Japi vai ser loteada, isso não tem a menor importância, não é mesmo ?

O que o prefeito quer é rosetar.

Aliás, o alcaide está tão entusiasmado com esse carnaval que ele vai pagar R$ 75.800,00 para a sonorização do bloco Refogado do Sandi, segundo publicação na Imprensa Oficial do Município de 29/01/16.

É a festança com o dinheiro público no reinado de Momo.